Perguntas sem respostas

13321829_1130687006951363_1045281743657905410_nFico pensando se um dia você vai me perguntar em que momento percebeu que seu irmão é um pouquinho diferente de você.

Acho que você, no fundo, já sabe. Mesmo sem saber.

Pensei isso hoje, quando você, vendo que ele tentava tirar os tênis, sentou-se ao lado, no corredor, e puxou os sapatos dele para ajudar.

Será?

Não, acho que não. Você teria essa mesma atitude diante de qualquer criança que precisasse de ajuda para tirar os sapatos.

#cartasparamaju

 

Janeiro de 2017

Anúncios

Um ano de Majú

13765950_1371964459486314_7742551926100682922_o
Maria Júlia,

Seu nome estava escolhido muito antes de você nascer.
Seu rosto só apareceu em uma foto, na última ultrassonografia, mas eu sabia exatamente como você seria.
Cabelo preto, olhos fortes, cara de brava, sorriso fofo, com dentinhos separados.
Hoje completa um ano daquele corre-corre rumo à maternidade.
Ficou famosa. As enfermeiras entravam no quarto e perguntavam: “É a bebê de 5kg?”
Depois, um susto, a tal de CIV. Só um susto mesmo.
Depois, outro susto: refluxo, suspeita de APLV. Só um susto mesmo.
Um ano de choro alto, de grude com a mãe. Que grude!
Alcançamos a meta de um ano de amamentação. Seguiremos até quando a Olimpíada permitir.

Um viva para nossa Majú!

 

24 de julho de 2016

Por que escrevo?

#CartasParaMaju

 

Por que escrevo?
Por apego às lembranças.
Para não perdê-las.
Porque o tempo altera as histórias,
e a memória nos trai.

Porque você merece conhecer cada detalhe.
Porque eu era uma menina dramática
e, se você assim também for,
terá aqui provas

de nosso genuíno amor.
De vida e felicidade.


Por Gabi
Sobre o dia 8 de junho de 2016 – Bernardo está na UTI há seis dias